Úlcera Venosa: o que é, causas e tratamento?

Tempo de leitura: 5 minutos

O que é a úlcera venosa? Você provavelmente já ouviu falar ou até mesmo conhece alguém que possui aquelas feridas nas pernas que aparecem e demoram muito a cicatrizar. Agora você sabia que alguns estudos mostram que entre 48-67% de todas as úlceras das pernas têm causa venosa?! Isso mesmo, são causadas por problemas nas veias, na circulação venosa.

Explicando melhor, as varizes (veias doentes) das pernas podem ter diversos sintomas e consequências, desde dor em peso e cansaço até formação de úlceras, ou seja, feridas nas pernas, principalmente na região dos tornozelos, que são causadas justamente pelo mau funcionamento das veias (insuficiência venosa ou varizes).

A úlcera venosa, por seu caráter crônico e difícil tratamento, traz consequências tanto físicas como psicológicas para os pacientes, sendo causa importante de afastamento do trabalho, redução da qualidade de vida e até depressão.

Qual a causa da úlcera venosa?

A insuficiência venosa crônica (neste outro artigo aqui, explicamos o que são e o que causa as varizes), ou seja, o mau funcionamento das veias, faz com que o sangue tenha dificuldade de retornar das pernas para o coração, o que leva então ao aumento na pressão dentro das veias defeituosas dos membros inferiores, principalmente nos pés e tornozelos.

Devido a este aumento de pressão dentro das veias, componentes sanguíneos que deveriam ficar nos vasos, são “empurrados” para fora, levando consigo líquidos, hemácias, leucócitos, entre outras células.

O extravasamento de líquidos é responsável pelo inchaço (ou edema), principalmente ao final do dia, mas que, com o avançar da doença, pode se tornar permanente.

Quando as hemácias são expulsas das veias para os tecidos que as circundam, elas são posteriormente degradadas em uma substância chamada hemossiderina, dando aquela coloração escurecida principalmente em volta dos tornozelos dos pacientes com varizes.

Mancha na perna
Sequela da Insuficiência venosa crônica

Os leucócitos, por sua vez, irão causar uma inflamação nos tecidos das pernas, levando a alterações em sua consistência, tornando a pele mais “grossa”. Acredita-se também que os leucócitos retidos nestes tecidos levem a falta de oxigênio, ou isquemia, iniciando o processo para formação da úlcera venosa.

Por quê a úlcera venosa surge?

Alguns fatores de risco conhecidos para formação da úlcera venosa são:

  • Refluxo no sistema venoso profundo (esse é um parâmetro avaliado pelo seu médico Angiologista durante o exame de ultrassonografia com Doppler);
  • História de TVP prévia e Síndrome Pós-Trombótica;
  • História de trauma nas pernas (ex: fraturas, queimaduras…);
  • Passar muitas horas do dia na posição sentada.

Entenda que, se você tem algum destes fatores de risco, não obrigatoriamente você terá úlcera venosa em sua perna, porém é comprovado que eles aumentam a chance de um ou mais ferimentos aparecerem.

Qual tratamento da úlcera venosa?

Antes de falarmos como tratar uma úlcera que já surgiu, vamos te contar como prevenir que ela apareça.

Já foi comprovado em alguns estudos que um fator protetor importante é a atividade física. Nestes trabalhos ficou evidente que exercícios como caminhadas, pelo menos 5 vezes na semana, é um bom aliado na prevenção do surgimento de úlceras em pacientes com insuficiência venosa.

Além disso, o tratamento das próprias varizes, em estágios mais iniciais, previne o surgimento de úlceras venosas no futuro.

Se, a despeito das medidas acima, surge uma úlcera venosa, devemos então focar em controlar seus sintomas (como dor, infecções) e realizar tratamentos para que sua cicatrização seja mais rápida e eficaz.

Após diagnosticada a úlcera, e caso o paciente ainda não tenha realizado, a realização de um ultrassom Doppler é de fundamental importância para programação do tratamento.

Nele saberemos se a doença está nas veias mais superficiais, necessitando de cirurgia, termoablação, terapia com espuma ou outros tratamentos para sua retirada, ou se está acometendo veias mais profundas nas quais se faz necessário tratamento endovascular com stents por exemplo.

As medidas gerais para tratamento da úlcera venosa incluem: repouso, curativo diário com soro fisiológico e sabões como clorexidina, enfaixamento com gaze ou curativos especiais (hidrocoloides, polímeros, alginatos ou hidrogéis) e terapia compressiva (faixas elásticas ou meias de compressão).

Bota de unnaA bota de Unna, conhecida mundialmente para o tratamento das úlceras venosas, continua sendo uma excelente alternativa, pois possibilita que o paciente continue realizando suas atividades diárias durante seu uso. Ela consiste em um curativo com gazes embebidas em uma mistura de óxido de zinco, glicerina e gelatina, devendo ser aplicada por profissional de saúde qualificado após higiene do local, e com recomendação de troca semanal a depender da quantidade de secreção eliminada pelo ferimento (alguns pacientes necessitam de duas trocas semanais).

É importante também tratar os sintomas que eventualmente alguns pacientes apresentam como dor, inflamações e infecções, com analgésicos, antiinflamatórios e antibióticos respectivamente.

O tratamento com espuma revolucionou o tratamento das úlceras venosas com vários casos de pacientes que apresentam feridas há mais de 20 anos e conseguem atingir o fechamento após o tratamento. Confira mais sobre o tratamento de varizes com espuma aqui.

Conclusão

Devemos deixar claro que as varizes são uma das diversas causas de úlcera nas pernas, mas não a única causa, sendo assim o paciente que possui úlceras ou feridas na perna deve ser  avaliado por um médico, de preferência médico vascular ou cirurgião vascular que levará em consideração a história clínica e os sintomas do paciente para que se possa descartar outros tipos de úlceras, chegando ao diagnóstico correto e tratamento.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *